enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poderá ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opção 2
    Opção 3
    Opção 4

06/04/2017 11:24h - Atualizado em 06/04/2017 11:31h

Cem dias de governo e os descaminhos de Renatinho

Por *Carlos Alberto Alves

O prefeito Renatinho Ourives começa a entender a diferença entre ser candidato e a dura realidade de governar. Enquanto candidato, de forma irresponsável, atendendo apelo de marqueteiros de ocasião, resolveu os problemas da saúde da cidade, que tem seu gargalo no atendimento ambulatorial e, agora, na falta de remédio.

Para agravar sua secretária de saúde mostra-se avessa ao diálogo e adota como método de gestão a avaliação de relatórios e os confrontos de dados. Isto pode ser muito bom para a formação de séries históricas e a coleta de dados estatísticos, mas não é para quem tem a obrigação de fazer uma gestão que salve vidas e lida com gente que precisa de orientação para atingir este objetivo.

Ainda, passando os olhos pelas propostas de campanha, está inserida a de reduzir em 30% os  cargos em comissão. Não deu para fazer e em apenas três meses já bateu nos mesmos números de contratados que tinha Ataíde ao apagar as luzes de sua administração: algo em torno de 117 comissionados.

Nem é para dizer que o que economizaria dá para resolver a situação dos buracos na cidade, segurança na coleta de lixo, que vez ou outra deixa toda a cidade suja, mas para apontar que mais uma promessa não foi cumprida.

Para continuar no mesmo caminho, que aponta  para o fato que há um fosso profundo entre o que se promete e o  que pode ser feito, vamos olhar os carnês de IPTU. 

Na campanha o tema foi abordado e a crítica se concentrou no fato de que a atualização da Planta Genérica de Valores, levada a efeito por Ataíde,  elevara demais os valores do imposto. Agora, ao  ter que conviver com a realidade, acaba de emitir carnês com 16,2% de reajuste, que significa que o cidadão proprietário de imóvel está pagando a inflação do período(6,2%) mais os 10% anuais previstos  na atualização da Planta de Valores, como consta em lei proposta pelo antecessor.

São pecados que poderiam ser perdoados pela população se o prefeito tivesse mostrado, pelo menos, disposição para encarar a grande demanda da população, que é ser tratada com mínimo de respeito no seu anseio maior na área de saúde.

Mesmo assim, ao chegar aos cem dias de governo, não se pode dar como certo  que o prefeito Renatinho pegou o caminho errado, ou seja os descaminhos que  o levarão ao abismo. A população que grita agora, ainda pode estar depositando confiança nele e o que se espera é que ele tome medidas que mostrem que tem mais competência no fazer do que no prometer.

 

*Carlos Alberto Alves é engenheiro por formação e jornalista por opção.