enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poderá ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opção 2
    Opção 3
    Opção 4

06/10/2016 10:16h - Atualizado em 06/10/2016 10:18h

De Volta à lida

Por *Carlos Alberto Alves

De Volta à lida

*Carlos Alberto Alves

Depois de mais uma eleição municipal, quando paramos nossas atividades jornalísticas para atuar no marketing político da campanha eleitoral de Tia Cenira, voltamos à nossa lida diária, trabalhando  no site www.correiodovaledoriogrande.com.br, nos preparando para organizar o evento empresas 10!  e  nos organizando para ter o nosso site de  informação mais presente na vida da comunidade e, portanto, mais útil para todos. Vou falar disso mais à frente, antes vou fazer uma breve analise do pleito deste ano.

Começando pela campanha de Tia  Cenira, em que vou me ater a aspectos da publicidade e do que pode ser percebido pelo eleitorado, como de resto será o mesmo olhar dirigido às outras duas campanhas.

Tia Cenira conseguiu colocar na rua uma campanha com um visual bonito e foi quem levou propostas de maior interesse do povão. Abordou assuntos importantes como o atendimento na área da saúde, educação em tempo integral, recuperação da malha pavimentada e término de obras importantes como de Cemeis e PSFs, hoje paralisadas, além de uma abordagem séria com relação à segurança pública, tendo como aval a presença do Coronel  Lemos.

Por ter apresentado suas propostas em primeiro lugar, Tia Cenira acabou pautando as outras campanhas.  Por exemplo, todas abordaram os mesmos temas, o que seria até o esperado, pois os problemas são os mesmos,  mas não com tanta verossimilhança, como foi o destaque dados aos vices.

No caso de Fábio Kallas, Dr Gilberto Kircnher virou a tábua de salvação da saúde e,  para Renatinho, Marquinho Salutti a solução para o produtor rural.

Por que a campanha de Tia Cenira não conseguiu colar suas propostas junto ao eleitorado? A explicação está numa rejeição sentida – não medida -  com relação à votação pela atualização de Planta Genérica de Valores, que ela resolveu combater dizendo que iria diminuir, corrigindo distorções. Isso acabou sendo o pecado maior de sua campanha.

Fábio Kallas acabou surpreendendo quando avançou no eleitorado de Renatinho Ourives, por  conta da fragilidade  que este demonstrou nos debates dos quais participou. O eleitorado  de Renatinho é constituído pelo  formador de opinião, do centro e do bairro, que viam  nele um administrador competente. Isto virou fumaça quando ele se apresentou no confronto com  seus adversários.

A virada cantada nos carros de som do PMDB só não aconteceu porque Renatinho tinha muita gordura para queimar.

Enfim, a eleição de 2016 é página virada.

Agora cabe a imprensa, a oposição e ao eleitorado se preparar para cobrar a execução do Plano de Governo do eleito,  torcendo para que tenha sucesso pois isso será bom para a cidade.

O site onde atuamos vai trabalhar para ser os olhos do povo, buscar informação e, com isenção, leva-la à comunidade, deste modo vai cumprir a missão a que se propôs, de contribuir para a construção de uma comunidade crítica e atenta ao que acontece à sua volta.

*Carlos Alberto Alvesé  engenheiro civil por formação e jornalista por opção