enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poderá ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opção 2
    Opção 3
    Opção 4

16/06/2016 09:20h - Atualizado em 16/06/2016 09:21h

Seleção brasileira estreia contra o Irã na Liga Mundial de Vôlei

Por MSN Notícias
© Fornecido por Estadão Até agosto serão cortados um dos dois líberos: Serginho (foto) ou Tiago Brendle
© Fornecido por Estadão Até agosto serão cortados um dos dois líberos: Serginho (foto) ou Tiago Brendle

 

Maior campeã da Liga Mundial, com nove títulos nas 26 edições do torneio, mas sem vencer desde 2010, a seleção brasileira masculina de vôlei estreia nesta quinta-feira na disputa de 2016, contra o Irã, pensando na Olimpíada. "A Liga é o grande evento teste. É claro que é uma competição importante em si mesmo, mas a preocupação maior é crescer, jogar bem, se sentir confiante para que a gente possa chegar em agosto no nosso melhor momento. Estamos talvez na metade da preparação e vamos continuar treinando forte", disse o técnico Bernardinho, após o treino na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico, palco da rodada que vai até sábado.

Brasil e Irã se enfrentam às 14h10. Às 16h30, jogam EUA e Argentina. O Brasil fará mais dois jogos no Rio pela Liga: contra a Argentina, sexta às 14h10, e os EUA, às 23h10 de sábado. O torneio continuará com rodada na Sérvia, de 23 a 25 de junho, e na França, de 1 a 3 de julho. A etapa final da Liga será disputada na Polônia, de 13 a 17 de julho. Vinte e um dias depois, em 7 de agosto, a seleção estreará na Olimpíada, contra o México, no Maracanãzinho.

A Liga servirá para Bernardinho definir o grupo para a Olimpíada. No torneio que começa nesta quinta são permitidos 16 atletas, mas nos Jogos só 12 poderão ser inscritos. Já estão definidos os dois levantadores (Bruninho e William) e os dois opostos (Wallace Souza e Evandro). Até agosto serão cortados um dos dois líberos (Serginho ou Tiago Brendle), um dos cinco ponteiros (Murilo, Lucarelli, Lipe, Douglas ou Maurício Borges) e dois dos cinco centrais (Lucão, Isac, Sidão, Éder ou Maurício Souza). A disputa entre os centrais é a mais acirrada.

"Essa é a decisão mais dura, pela quantidade de excelentes jogadores. É sempre duro a gente tirar alguém de uma Olimpíada”, disse Bernardinho, sem dar dicas de quem corre maior risco. Isac preocupava porque se afastou por causa de uma hérnia de disco e chegou a perder 7 kg, mas voltou a treinar há uma semana e está se recuperando bem, diz o técnico, que não estipulou prazo para os cortes: “Esse é o grupo de trabalho por mais um tempo."