enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poderá ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opção 2
    Opção 3
    Opção 4

17/11/2014 14:22h - Atualizado em 17/11/2014 14:23h

Alerta contra a dengue

Por Correio do Vale do Rio Grande

A Prefeitura de Passos iniciou o planejamento de uma estratégia para evitar uma nova epidemia de dengue na cidade. Em reunião técnica convocada pelo prefeito Ataíde Vilela na última sexta-feira, o Departamento de Saúde Coletiva e a Superintendência Regional de Saúde avaliaram a situação e concluíram que a população deve continuar atenta com a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Novos casos

Com três novos casos confirmados nas últimas semanas, Ataíde disse que o momento é preocupante e a população precisa ser alertada, especialmente porque o mosquito transmite também o vírus causador da febre chikungunya, que já contaminou muita gente no país. “Os pais, as mães, todo mundo, precisam ter preocupação, porque a dengue pode voltar. E ela não avisa, volta com força total, se a população não fizer sua parte”, disse o prefeito.

Notificações

As notificações sobre a doença  são de pacientes do Bairro São Benedito e do condomínio Luciana, na zona rural de Passos. Outro problema detectado é em relação ao armazenamento de água por moradores durante o pior momento da seca, em que houve dificuldade de abastecimento na cidade. Segundo Ataíde, há notícias de que muita gente deixa as caixas d’água destampadas, onde o mosquito aproveita para botar seus ovos.

Ação

“Uma de nossas ações foi através da Secretaria de Educação, com trabalho educativo nas escolas, para conscientizar os alunos e incentivá-los a repassarem o alerta a seus pais. Agora, vamos pedir para os líderes religiosos de Passos nos ajudarem na conscientização da população e fazer um mutirão contra o mosquito da dengue e da chikungunya”, disse Ataíde Vilela.

Multa             

Se o trabalho pela conscientização não der certo, a prefeitura já elavorou um projeto de lei, que será enviado à câmara, prevendo multa para que não tomar as medidas preventivas que possam evitar uma nova epidemia. Só neste mês de novembro já foram 18 notificações. A lei ainda propõe formas de agir que facilitam a entrada de agentes nos imóveis particulares.