enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poderá ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opção 2
    Opção 3
    Opção 4

21/02/2014 16:19h - Atualizado em 21/02/2014 16:21h

MOBILIZAÇÃO CONTRA A DENGUE

Por Carlos Alberto Alves
*Carlos Alberto Alves é engenheiro civil por formação e jornalista por opção
*Carlos Alberto Alves é engenheiro civil por formação e jornalista por opção

A dengue, transmitida pelo mosquito aedes aegypti,  é uma doença que avança no descuido que a população tem em manter sob controle ambientes e locais onde possa proliferar a larva com rapidez. 

O poder público pode e deve atuar. Hoje em dia, notadamente em Passos, a ação da vigilância sanitária marca uma presença razoável e as visitas domiciliares não são incomuns. 
Por que então a dengue proliferou com tanta rapidez e em volume tal alto que superou em 3000% o ano passado?
A resposta não é fácil de ser encontrada, embora exista estereótipos capazes de satisfazer tanto a população – que não quer se sentir culpada pelo avanço da doença - bem como o poder público – que  não deseja ser considerado omisso no combate à proliferação do mosquito.
Mas o fato é que o combate ao mosquito deve unir os cidadãos e o poder público para que seja eficaz a ação e impeça o crescimento vertiginoso da epidemia.
O papel da administração municipal tem que ser o que agora a prefeitura vem fazendo: animar as instituições, mobilizar todos os setores, principalmente os de saúde, educação e obras, para que as pessoas se sintam envolvidas e percebam que há ação por parte do poder público na eliminação do problema.
Ao cidadão compete olhar para o seu próprio umbigo, ou seja ,para o seu próprio quintal e cuidar da limpeza que só ele pode fazer com zelo e determinação. Além disso, a este cidadão deve caber também o envolvimento na cobrança de seus pares para que cumpram o papel que a cidadania lhe impõe, observando ao redor e verificando se todo mundo está tendo igual cuidado na luta contra esse gigante de dimensões mínimas que é o mosquito que transmite a dengue.
Não se trata da perseguição de vizinhos, mas de um convite para participar de uma luta que exige que estejamos permanentemente mobilizados, poder público, escolas, setor de saúde, sociedade civil organizada e cada um, no exercício do  dever de contribuir para que fiquemos livres da doença.
Ademais, é bom lembrar que a dengue é uma doença letal, existe em diversos graus e há casos graves como a dengue hemorrágica que leva à morte da pessoa que a contraiu. Por isso, é necessário que todos nós, cumprindo o papel isolado, de tapar caixas d´água, limpar terrenos e  vasos de flores, sejamos participantes ativos na eliminação do risco de contaminação do vizinho e de nós mesmos.