enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poderá ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opção 2
    Opção 3
    Opção 4

23/05/2013 12:00h - Atualizado em 23/05/2013 12:01h

CUIDADOS: ESPECIALISTA ALERTA SOBRE O USO INADEQUADO DO FONE DE OUVIDO

Por Jornal do Sudoeste

O uso constante de fone de ouvido é hábito comum nos dias atuais, principalmente entre jovens e adolescentes, que utilizam seus aparelhos muitas vezes por muitas horas diárias. Por isso, a preocupação dos pais sobre possíveis danos à audição, quando o equipamento é utilizado no volume máximo e em longo tempo de exposição direta no tímpano.

O otorrinolaringologista Mateus Perches explica que a maioria dos fones de aparelhos originais são seguros para uso, pois têm limitadores de som em 80 decibéis, que são os limites para evitar danos à audição. “Isso não se pode garantir com certos produtos não originais. Já vi aparelhinhos chegando até 120 decibéis e isso é um dado com o qual realmente se pode ter lesão. Acima disso, você pode ter repercussão na audição a longo prazo, mas até 80 decibéis é bem seguro”, afirma.

O especialista explica que o cuidado mais importante é com o volume, e não o tempo de uso. “Pessoas que trabalham em ambientes com ruídos acima de 85 decibéis por mais do que 8 horas por dia, depois de dez anos começam a apresentar alteração na audição. Mas para quem ouvir em 80 decibéis, duas horas por dia, a chance de se ter uma lesão auditiva é pequena”, compara. “A lesão depende do volume, não depende tanto das horas. Ela influenciará se o volume estiver muito alto, mas o mais importante é a limitação de volume. O problema é que nem sempre o aparelho vem com as medições em decibéis, mas a maioria dos manuais de uso traz as transformações para o cálculo.”

Como reconhecer danos à audição 

O otorrinolaringologista explica que o principal sintoma é o zumbido. “Mas quando há uma queda causada por trauma acústico ou induzida por ruído, que a longo prazo é somatório, o primeiro sintoma costuma ser surdez e, depois, a longo prazo, também a dificuldade para entender. Aquela coisa do escuto, mas não entendo”, acrescenta.

No entanto, as causas podem ser variadas, e o ruído não seria a única fonte de lesões na audição. “Há uma série de doenças que podem causar zumbido e alteração na discriminação vocal. Não dá para dizer que é só o aparelho que causou aquilo, há muitos fatores que são importantes. É difícil determinar que aquela doença foi causada pelo fone de ouvido.”

O especialista reforça: “Como regra, um aparelho de boa marca, com limitador de som, ouvido em um volume não muito alto, costuma ser bem seguro para uso.”

O médico finaliza ressaltando que a lesão na audição é definitiva, por isso todo cuidado é necessário. “A lesão por exposição a ruído é irreversível.”