enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poderá ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opção 2
    Opção 3
    Opção 4

14/05/2019 12:03h - Atualizado em 14/05/2019 15:38h

Câmara faz moção de repúdio a ato de agressão na Câmara

Por Maria Alice/Vitória Ramos, com Carlos Alberto Alves

A Câmara Municipal viveu na sessão de ontem, segunda-feira, 138/05,  uma tensão enorme. A expectativa nervosa  acontecia porque estava prevista a votação de um requerimento que propunha a elaboração de uma Resolução reduzindo o corte de 50% dos subsídios dos vereadores, fim do pagamento do que denominam 13º salário dos vereadores, na verdade seria o fim do pagamento da 13 parcela do subsídio, que é o que vereador recebe como remuneração todos os meses. A iniciativa era do vereador e médico Rodrigo Barreto, que durante o momento de votação das matérias, retirou de pauta o requerimento. Outra lado dessa moeda está outro medico, Aquiles Grintaci, que se atritou na semana anterior, com Téo Lemos, em briga na porta da Câmara, cobrando dele razão de suas votações que poderiam beneficiar a comunidade. Os dois chagaram a via de fatos. Aquiles fez durante a semana que passou “convocação” para a comunidade ir a câmara e pressionar pela aprovação do requerimento do vereador Rodrigo Barreto. A retirada da pauta frustrou as poucas pessoas que compareceram para acompanhar a votação.

 

Dona Cida: “Nós só teremos o que comemorar quando muitos de nós não precisarmos sofrer ou morrer por sermos negros’

A vereadora Maria Aparecida dos Reis (Dona Cida)  começou a sua fala lembrando-se da importância da abolição da escravatura. (Comemorada no dia 13 de Maio) “O que comemorar num país racista como o nosso? Por que deram para nós os piores lugares no trabalho? Por que não aceitam o nosso crescimento? Por que os nossos filhos não são aceitos nas universidades? Essa é uma reflexão para nós fazermos. O que valeu a pena essa abolição da escravatura? Nós só teremos o que comemorar quando muitos de nós não precisarmos sofrer ou morrer por sermos negros.” Afirmou.

 

Logo depois, Dona Cida voltou ao assunto do transporte coletivo, que, segundo ela, está na contagem regressiva do tempo. Ela diz que  não recebeu uma resposta até hoje e queria uma licitação transparente. “Nós queremos um transporte coletivo digno e decente” pediu. Dona Cida também entrou no assunto da Greve Nacional da Educação, que será uma greve geral e acontecerá no dia 15 de maio em todo o Brasil. A mesma convidou a todos, às 17h na Praça do Rosário. Finalmente  comentou que no dia 14/05, aniversário da cidade de Passos, estará atuando e ajudando em um evento, arrecadando fundos para Tales, skatista Passense que participará de um campeonato mundial de Skate na Europa, representando a cidade de Passos.

 

Alex Bueno: Portador de Cartão de Idoso livre de pagar estacionamento rotativo

 

O vereador Alex Bueno abordou dois assuntos em sua fala: o primeiro é sobre o estacionamento rotativo, que teve um decreto que entrou em vigor e, a partir de amanhã, todo usuário que tiver o cartão de idoso (e for idoso) ou de deficiente, poderá se garantir, gratuitamente, em qualquer vaga em duas horas e, nas vagas destinadas a deficientes e idosos, por tempo indeterminado. O outro assunto é sobre a inauguração do CES-U, Ambulatório Tranquedo Neves, que será inaugurado no próximo dia 20 de maio, às 10h da manhã. A inauguração ocorrerá na Rua Barão de Passos com Goiás. Alex agradeceu o senador Rodrigo Pacheco, que destinou recursos para que pudesse acontecer essa obra. O vereador convidou toda a população de Passos para a inauguração.

Teo Lemos fala de educação nacional e infraestrutura da cidade

O vereador iniciou o uso da tribuna reafirmando o seu discurso com relação aos cortes educacionais propostos pelo governo estadual e federal, e mais uma vez ofereceu o seu apoio aos integrantes do IFSULDEMINAS, onde os cortes chegam a quase 40%. “Se não dermos o grito com a população estudantil, nossa educação não vai melhorar”. Outro assunto levantado foi sobre a cratera ou “buracão da rua Campos Gerais” que já tem mais de 30 anos, ele afirma que os trabalhos estão em andamento e pede para que a população pare de jogar entulho no local, pois isso atrasa e dificulta as obras. Sobre o incidente da semana passada (http://correiodovaledoriogrande.com.br/noticia/11336/agressao-na-camara-de-vereadores-entre-teo-lemos-e-dr,-aquiles  ) Téo diz que não deseja fazer muitos comentários e afirma “O meu passado e minhas atitudes estão abertos para qualquer pessoa, e a melhor resposta para os ignorantes é o silêncio.

João Serapião: Zelo pelo dinheiro do povo

O vereador faz esclarecimentos quanto ao cargo que ocupa na prefeitura, segundo ele muitas pessoas tem levantado dúvidas e suposições quanto a isso, mas seu cargo de Agente de Edemias é público conquistado por meio de concurso. “Quem quiser pode ir até o departamento pessoal solicitar a relação de pontos, meu cargo é público e está disponível para consulta de todos. Pode ver também que tem as faltas de quando vou em eventos da câmara, eu trabalho e zelo muito pelo dinheiro do povo”. Serapião também justifica seu voto a favor do projeto de Rodrigo Barreto, que visa a redução de 50% no salário dos vereadores e extinção do 13° salário. “Essa casa está virando as costas para o povo, eles esperavam um posicionamento mais claro vindo de nós, se não fosse eles, não receberíamos o nosso salário”.

Atualização -14/5 -15h40min -Ordinária mantém veto e aprova requerimentos

A Câmara Municipal de Passos realizou na tarde dessa segunda-feira (13 de maio) a 15ª reunião ordinária do ano. Foram aprovados requerimentos e votado um veto parcial do Executivo a proposição a Casa.

 Foram aprovados oito requerimentos de autoria dos vereadores Téo Lemos (PSD), Erick Silveira (MDB), Iran Parreira (MDB), Dona Cida (PT) Alex Bueno (PSD). Um requerimento de autoria do vereador dr. Rodrigo Barreto foi retirado da ordem do dia a pedido do autor. Exatamente o que propunha redução de 50% do subsidio do vereador.

Por unanimidade, o plenário manteve veto parcial do Executivo a proposição de lei nº 005, de 11 de março de 2019, que “dispõe que seja criada a política de prevenção à violência contra profissionais da Educação na rede de ensino do município”. A proposição é de autoria do vereador Téo Lemos (PSD).