enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poder ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opo 2
    Opo 3
    Opo 4

14/01/2019 09:33h - Atualizado em 14/01/2019 10:24h

AO DE COMBATE A DENGUE INTENSIFICADA EM PASSOS

Por Ascom PMP

A Prefeitura de Passos, através da Secretaria Municipal de Saúde e da  da Vigilância Ambiental – Controle de Zoonoses de Passos  realizou mais uma ação de combate ao mosquito transmissor da dengue, Zika Vírus e Febre Chikungunia. A ação de combate e prevenção dessas doenças vai acontecer nos bairros Bela Vista 1 e Bela Vista 2, bairros que apresentaram alto índice de infestação segundo a pesquisa realizada entre o dia sete e dez de janeiro. A reportagem apurou que nessas regiões o indice é 9,0%, quando que o risco maior é de 4,6%, quase duas o que já seria de alto risco.

O mutirão aconteceu sábado dia 12 de janeiro, os agentes se reuniram  as 8 (oito) horas na praça da Rua Alagoas para as orientações do coordenador Osvaldo Rattis. A ação contou  com a participação de todo o efetivo do Núcleo de Zoonoses, e o apoio da Secretaria de Obras. O objetivo foi eliminar todos os criadouros do mosquito transmissor como pratos de vasos de planta, bebedouros de animais, pneus, latas e demais objetos que possam acumular água e se tornar um criadouro do mosquito.

 Um áudiio que circula na internet dá conta que o Lira, pesquisa que apomta os indices de riisco da dengue, pela infestação do mosuito aedes egipty, está  em 7,0% no geral em Passos e chega a 9,0% na região do Bela Vista. A reportagem enviou pauta para  coordenaador da núcleo zoonose, Oswaldo Rattis,  para saber da situação. Até agora,10:50h ,não obteve reposta.

Autoridades de saúde orientam que todos nós precisamos estar atentos a possíveis focos em nossas casas para não correr riscos, é extremamente necessário à participação de todos no combate ao Aedes Aegypti, toda população pode ajudar nesta Guerra, realizando uma inspeção semanal em todos locais que acumule água seguindo as orientações abaixo.

- Coloque uma colher de água sanitária nos ralos internos e externos;

- Retire a água da bandeja externa de geladeira e ar condicionado;

- Feche as tampas dos vasos sanitários ou vede totalmente se o vaso não estiver sendo usado, de forma que impossibilite a entrada do mosquito da dengue para colocar seus ovos;

- Mantenha sua piscina com tratamento adequado seguindo orientações de especialistas;

- Retire ou vire de boca para baixo os pratinhos dos vasos de plantas;

- Objetos que possam acumular água devem ser guardados em local coberto livre das ações da chuva;

- Certificar de que a caixa d’água esta bem tampada e que calhas não estejam acumulando água da chuva;

 

Opinião

Eis aí mais um exemplo de que administrar sem agilidade pode acabar em tragédia. Já algum tempo o coordenador do Núcleo de Zoonose Oswaldo Rattis,  tem alertado as instâncias superiores sobre o risco de uma epidemia de dengue.

Quem visita o núcleo depara com veículos parados e os que estão funcionando em condições precárias, faltando até combustível, algumas  vezes, para o serviço de rotina.

Tudo isso levou ao patamar que anuncia uma epidemia que parece ser inevitável.

Para conter este risco é necessária uma eficiente comunicação, outro ponto do qual a atual administração não pode se gabar.

A tática de empurrar com a barriga se mostra, neste caso, nada aceitável e muito arriscada e aí, para toda uma cidade.

Tem o secretário de saúde, Dr Carlos Eduardo,  que precisava ter colocado a par a população em cada momento da evolução  dessa proliferação do mosquito e, mais sério, manter a as pessoas mobilizadas para ajudar no combate, sem dúvida uma participação que não pode ser desprezada.

Por ter um secretário voluntarioso, com vontade de acertar, mas que parece não saber o que significa ação de prevenção na área, pode acabar em morte, como já a anunciada de um senhor de nossa cidade.

Era preciso que o prefeito Renatinho desse mais ouvido ao setor da zoonose, até para que pudesse cobrar ações mais efetivas desse grupo de trabalho.

A impressão que se pode ter desse modo de operar é que se aguarda a tragédia para depois tomar medidas.

Pior disso é que não só Renatinho que tem prejuízos políticos, mas todo povo que corre o risco de ver mães, filhos, filhas, irmãos sucumbindo à peste que podia ser prevenida. (CA)