enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poderá ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opção 2
    Opção 3
    Opção 4

19/12/2017 14:48h - Atualizado em 19/12/2017 14:57h

Operação contra corrupção e outros crimes prende delegados e funcionários da PC no Sul MG

Por Correio do Vale do Rio Grande

Uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, cumpre mandados de prisão, busca e apreensão contra delegados, investigadores, escrivães e advogados na manhã desta terça-feira (19). A operação foi deflagrada em 12 cidades de três estados - Minas Gerais, Mato Grosso e Paraná. No Sul de Minas, são cumpridos mandados de prisão em Pouso Alegre e Passos.

A Operação Fênix, realizada pela unidade do Gaeco em Uberlândia (MG), em parceria com Pouso Alegre, Patos de Minas e Uberada, cumpre 200 mandados de prisão preventiva expedidos contra 136 pessoas. Também são cumpridos 121 mandados de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva.

Entre os presos, estão 10 delegados de polícia, uma delegada regional, dois escrivães, 45 investigadores e sete advogados. Segundo o Ministério Público, a ação faz parte da união de três outras operações, que combatem mais de 10 crimes, entre corrupção, associação criminosa, tráfico de drogas, receptação, fraude, estelionato e outros.

Em Pouso Alegre, o delegado regional André Vinícius Corazza foi levado para o Ministério Público em cumprimento a um mandado de prisão preventiva. Um outro delegado, do município de Jacuí (MG), Matheus Ponsancini, foi detido em Passos (MG) e levado para o Ministério Público em Pouso Alegre. O MP ainda não divulgou nenhuma informação sobre a participação dos delegados.

Além das cidades do Sul de Minas, a operação acontece em Uberlândia, Uberaba, Araguari, Patos de Minas, Patrocínio, Monte Alegre de Minas, Araxá e Belo Horizonte. As duas cidades de outros estados são Cascavel (PR) e Cuiabá (MT).

Participam da operação quase 500 policiais militares, com apoio de policiais rodoviários federais, além de promotores de Justiça e auditores da Receita Estadual.

 

Delegado preso em operação chegou em carro da Polícia Rodoviária Federal (Foto: Reprodução EPTV)